seteDesejo do Autor

livro01"A megameta do Autor e da Editora do Manual Salve-se Quem Souber é que no final deste ano cerca de 50 milhões de indivíduos tenham ouvido falar do seu tremendo potencial; que cerca de 25 milhões tenham acesso ao inteiro conteúdo de suas 7 Revelações."

 

Um Bom Governo: Uma Conquista da Cidadania Ativa


A diferença entre um estadista e um demagogo é que este decide pensando nas 

próximas eleições, enquanto aquele decide pensando nas próximas gerações.

(W. Churchill, Primeiro Ministro inglês).

 

        Nota importante: esse texto traz apenas informações básicas. Estude! Pesquise e se aprofunde mais no assunto! Não acredite cegamente em nada que está escrito neste artigo e ao mesmo tempo esteja aberto à investigação e experimentação pessoal!

         Você sabe por que a Cidadania Ativa é considerada o QUINTO PODER de uma nação? O que é CIDADANIA? O que significa ser CIDADÃO ATIVO?

      A cidadania é a mais importante e eficaz arma que dispõe a população na conquista de um bom governo. Ela é um escudo contra a opressão, a demagogia, a corrupção e a devastadora CLEPTOCRACIA, como a que se apoderou do nosso maravilhoso país.

       Não estamos nos referindo à cidadania significando sinônimo de nacionalidade e, sim ao QUINTO PODER de uma nação. Vejamos como isso é possível:

·      Existem os três poderes oficiais: Executivo, Legislativo e Judiciário.

·    O quarto poder é o poder não oficial (mas legítimo): a Grande Mídia (os principais meios de comunicação do país), assim considerada pela força de influenciar (positivamente ou não) o comportamento de toda sociedade e de interferir na vida da nação. As pressões populares dificilmente aconteceriam sem a influência da Grande Mídia, que exerce plenamente o seu papel de “quarto poder”, mostrando os passos de uma dada discussão, as pessoas públicas e suas opiniões sobre o objeto de discussão, e desta forma molda novas ideias para a opinião pública.

·    O quinto poder é extraoficial e não reconhecido nas sociedades subdesenvolvidas (apesar de legítimo): a CIDADANIA é assim considerada nas sociedades mais politicamente avançadas do planeta, pois os cidadãos têm o poder não só de fiscalizar e controlar os outros poderes, mas também de contribuir para o desenvolvimento da Pátria.

     A legitimidade deste superpoder está no seguinte incontestável argumento: quem sustenta os outros quatro poderes são os cidadãos! Portanto, não somente eles possuem direitos como deveres de exercer controle e fiscalização sobre os órgãos públicos e seus dirigentes.

     Atenção leitor/leitora: veremos mais abaixo que para se tornar um quinto poder a cidadania tem que ser uma cidadania ativa!

     O que é CIDADANIA? O conceito de cidadania no sentido evidenciado neste artigo é muito amplo, mas pode ser resumida nas 6 seguintes definições:

1)    É a participação ativa dos indivíduos na vida (política, econômica e social) da nação. Exercer seus direitos de cidadania também implica obedecer às leis e as normas sociais.

2)    Exercer a cidadania é ter consciência de seus direitos e obrigações e lutar para que eles sejam colocados em prática.

3)    A cidadania não significa pertencer a um partido político, nem pode ser confundida com manifestação política em que o objetivo político ou ideológico se sobrepõe ao interesse da coletividade e da sociedade. A cidadania é inclusão social.

4)    A cidadania é essencial para a construção de um processo de mudança em prol de todos os grupos que compõem a vida em sociedade, principalmente as classes consideradas menos favorecidas.

5)    A cidadania se expressa em cada movimento do cidadão em uma comunidade como o todo. Atitudes como não jogar lixo na rua, dar lugar ao idoso no transporte coletivo, chegar na hora marcada nos encontros, respeitar o lugar do outro em uma fila, não estacionar em lugares proibidos, atravessar as ruas dentro das faixas de pedestre, não falar aos gritose respeitar as boas normas de convívio (agir com civilidade), são questões corriqueiras na vida da população que se encaixam perfeitamente na concepção de cidadania.

6)    A cidadania está intimamente ligada à democracia, pois dentre os direitos e deveres do cidadão está a participação nas decisões políticas, através de votos em eleições, plebiscitos e referendos.

       Péricles (495-429 a. C.), o grande estadista grego, considerado um dos pais da democracia, usava a palavra “idiotes” para designar os atenienses que, alegando ter de cuidar de seus próprios assuntos, não participavam das reuniões para tratar de questões de interesse coletivo.

       É incrível como dois mil e quinhentos anos depois, continuamos cultuando uma cultura de mediocridade que produz milhões de IDIOTAS (no sentido grego – e original – do termo) vivendo num país possuidor de fabulosa riqueza natural!! Tal é a cultura predominante no Paraíso Tropical denominado BRASIL.

   Nota Importante: para mais detalhes leia o artigo “Cultura de Qualidade versus Cultura de Mediocridade” em Tópicos Recentes no link  http://salvesequemsouber.com.br

       O exercício da cidadania requer aprendizagem e prática. Um povo em que a maioria dos seus cidadãos não tem o hábito e/ou se recusa a praticar a cidadania é um povo permissivo e tolerante com os abusos dos políticos, daí a grande tendência desse povo ter um MAU GOVERNO. É importante jamais esquecer que todo povo tem o governo que merece!

       E o resultado dessa desgraça pública é sempre o mesmo: os cidadãos constantemente desrespeitados, afrontados e objetos de toda sorte de explorações e abusos por parte dos governantes, como há muito vem acontecendo com o povo brasileiro.

     Como decorrência ou em reação a isso, a maioria da população desenvolveu doenças culturais — quesão os condicionamentos psicológicos e comportamentais altamente prejudiciais (tais como, alienação política, acomodação, conformismo, indolência, complacência, complexo de cachorro vira-lata, infantilismo psicológico etc.), debilitando ainda mais sua condição de cidadão, o que, por sua vez, fragiliza mais as comunidades e toda a sociedade. O típico efeito cascata ou efeito dominó,

       Este tipo de população é facilmente manipulável pelas pessoas mal intencionadas, pelos políticos inescrupulosos e líderes religiosos vigaristas e arrivistas. A história dos países subdesenvolvidos demonstra isso concretamente.

      Esta sucessão ininterrupta de acontecimentos sempre resulta numa situação que parece sem saída e sempre desfavorável (mau governo), um verdadeiro CÍRCULO VICIOSO, assim expresso:

Doenças culturais (ausência de cidadania) → mau governo → doenças culturais → mau
governo → doenças culturais → mau governo →doenças culturais.

        Eis o que diz sabiamente o professor-escritor Ênio Resende, atento observador e estudioso da realidade brasileira:

O Brasil está seriamente doente. Diagnostico cruel, mas infelizmente realista. Nossa sociedade está debilitada e são as doenças culturais a causa de suas crises. Algumas dessas doenças são resultantes de transformação de traços peculiares de brasileiros, em deformações de comportamentos, tornados verdadeiros males sociais.

       Eis uma importante conclusão: após esta breve análise sobre a importância da cidadania, pode-se afirmar categoricamente que CIDADANIA / BOM GOVERNO são dois lados de uma mesma moeda. Eles coexistem e se complementam! Não é possível existir um bom governo na ausência da cidadania. Mais ainda: essa cidadania tem que ser uma cidadania ativa.

Cidadania Ativa: O Quinto Poder da Nação

Eu lhe pergunto, se existe tanta desaprovação contra o modelo político existente no
país, como os cleptocratas no poder conseguem aprovação nas urnas? Será que o povo
brasileiro é esquizofrênico? Ou tem o governo que merece?

 

     A Cidadania Ativa é um conceito que se aplica a todas as pessoas que integram e se comprometem com sua comunidade. Seu próprio destino e o destino da comunidade estão fortemente atrelados. Ou seja, o cidadão ativo se encontra absolutamente envolvido em todos os assuntos relacionados à comunidade e à sociedade que vive e participa.

     Ao longo dos oito anos que convivi em Los Angeles (como empreendedor na indústria do turismo) com turistas procedentes da península Escandinava (Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia e Islândia), aprendi que um dos grandes segredos para o enorme sucesso da Democracia Socialista existente nestes países era o seguinte:

    Os cidadãos escandinavos viam as obrigações para com a comunidade como uma
oportunidade para ser virtuoso, pela prática do voluntariado, da solidariedade,
integridade, lealdade, coragem, honestidade e competência.

      Tais virtudes são para eles uma fonte de honra e respeito.

      Esses países mais desenvolvidos socialmente (social democracia) levaram adiante as ideias dos antigos gregos de cidadania, tais como os princípios da igualdade perante a lei, a participação cívica no governo, e noções de que "cidadão algum deveria ter muito poder por muito tempo".

       De acordo com a Organização das Nações Unidas, este princípio da igualdade é particularmente importante para as minorias e para os pobres. Assim, todos devem ser tratados igualmente perante a lei e a lei é igual perante todos, independentemente de raça, sexo, status social, religião, deficiência ou qualquer outra característica, sem privilégio, discriminação ou preconceito.

      Na social democracia o conceito de Cidadania Ativa é uma filosofia de vida em que os cidadãos devem trabalhar para a melhoria da sua comunidade através do trabalho voluntário e outros esforços para melhorar a vida de todos na sociedade. As obrigações de cidadania se estendem também às empresas, que têm responsabilidade social para com o bem estar da sociedade e proteção do meio ambiente.

     A história moderna dos povos Escandinavos demonstra na prática que quando há uma Cidadania Ativa na sociedade as instituições e órgãos governamentais são sólidas, úteis, respeitadas, respeitáveis e produtivas, constantemente melhorando o padrão e qualidade de vida da população. Ou seja, um verdadeiro CÍRCULO VIRTUOSO, assim expresso:

O dia seguinte sempre fica um pouco melhor do que o dia anterior.

Ser Cidadão Ativo: O Que Isso Significa?
 

Para não sermos parte dos problemas sociais não basta não participar deles; 

é preciso também atuar no sentido de confrontá-los, questioná-los, dificultá-los,

e para tanto devemos dirigir nossas energias em solucioná-los.

 

      Significa ter direito a uma vida decente, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei. Significa também participar no destino da sociedade, votar, ser votado e ter direitos sociais —que são os direitos que garantem a participação do indivíduo na riqueza coletiva: o direito à educação e à saúde de qualidade, ao trabalho digno, justa remuneração, a uma velhice relativamente tranquila. Você sabia leitor/leitora que:

     Um agrupamento de cidadãos brasileiros esclarecidos, ativos, corajosos e conscientes de seus direitos e responsabilidades, quando vestidos com a armadura de uma causa justa, são mais fortes do que o exército de cleptocratas que se apoderaram do Estado brasileiro.

       Preparar o cidadão para o exercício da Cidadania Ativa é um dos objetivos da EDUCAÇÃO ESCOLAR DE QUALIDADE de um país — que, assim entendida, é o oposto da manipulação e não está somente a serviço da economia, das empresas, das tendências políticas ou convicções religiosas. Ela é a única ferramenta capaz de transformar o país caótico que temos no Brasil que queremos, sem derramamento de sangue.

       Em todos os países desenvolvidos do planeta a “Educação para a Cidadania” é ensinado nas escolas, como disciplina acadêmica semelhante à política ou sociologia. É a boa educação que informa os cidadãos de seus direitos de se organizarem para lutar bravamente por esses direitos. A ausência de uma população educada tem sido sempre um dos principais obstáculos à construção da cidadania.

      Nunca é demais enfatizar algo tão importante: a educação escolar de qualidade é o principal instrumento de formação da cidadania. Contudo a escola sozinha não dá conta da difícil tarefa de formar o cidadão, uma vez que a formação da cidadania vai além de seus muros. Ela é forjada na educação familiar (popularmente conhecida como educação doméstica) e no dia-a-dia das relações dos indivíduos.

Você leitor/leitora, após a leitura atenta deste artigo esclarecedor, ainda tem alguma dúvida
que um BOM GOVERNO é uma conquista da população que valoriza a CIDADANIA e a
POLÍTICA? Você entende de verdade que quase tudo (cerca de 90%) que acontece numa
sociedade contemporânea é consequência de decisões políticas?

     No fundo, viver na Escola da Vida é um ato político. A vida de uma nação é uma sucessão interminável de atos políticos — positivos e negativos. A POLÍTICA pode ser definida como a arte de governar bem os povos e faz parte da gestão pública.

    Inexiste sociedade organizada sem política. No Brasil, após sua independência, POLÍTICA tornou-se sinônimo de POLITICAGEM, e aos olhos do senso comum ela é vista como demagogia, corrupção, mesquinharia pessoal, desonestidade, lavagem de dinheiro, roubalheira do dinheiro público e outros termos pejorativos.

     Esta repulsa ao longo de décadas contribuiu decisivamente para a ignorância e a alienação política e as doenças culturais da população brasileira. Nesse início do novo milênio, com a terrível ameaça da CLEPTOCRACIA que se apoderou do nosso Paraíso Tropical, a POLITICAGEM deve ser combatida incansavelmente com unhas e dentes por todos os indivíduos esclarecidos, principalmente pelos Empreendedores Sociais e pela Geração Muda Brasil.

    Isso fica claro na advertência do famoso dramaturgo e político dissidente alemão Bertolt Brecht, que, em seu incansável combate à alienação política dos cidadãos, escreveu:

     O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do arroz, do peixe, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

   O analfabeto político é tão burro que estufa orgulhosamente o peito e brada “eu odeio a política!” Não sabe o imbecil que, de sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, o assaltante, o traficante de drogas e, o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto, traidor da pátria e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

     Para o ignorante político, um alienado (isto é, falta de sentido da realidade) e observador ingênuo, o mundo parece constituído de coisas independentes umas das outras. Ele ignora que os destinos da sociedade são comandados pela política.

    Por exemplo: o desemprego e subemprego alarmantes, os baixos salários, a guerra aos pobres, a criminalidade elevada, a poluição ambiental causada pelas grandes empresas, a injustiça reinante, a impunidade imoral, a má qualidade da educação e o abandono da saúde pública, dentre tantos outros desrespeitos ao povo do Brasil.

CONCLUSÃO

Quando a ordem estabelecida é injusta, a desordem é já um princípio de justiça.

    Se de fato, é verdade que “todo povo tem o governo que merece”,  então um povo totalmente despreparado para vivenciar as delícias de um BOM GOVERNO, um povo que escolhe erroneamente seus representantes, que não fiscaliza suas atuações e é conivente com a corrupção e as más administrações públicas — é um povo que merece governantes como os que sempre temos no Brasil: políticos ladrões do dinheiro público e adeptos do “quanto pior, melhor”.

    Enquanto continuarmos a não valorizar a CIDADANIA ATIVA e eleger governantes corruptos e incompetentes que não valorizam a educação pública, o Brasil continuará se desenvolvendo a passos de lesma reumática ou de tartaruga com artrite. Para Bertolt Brecht:

“O indivíduo mais perigoso para a elite dominante em uma sociedade onde impera a
injustiça é o cidadão informado politicamente, inconformado e destemido”.

    MENSAGEM FINAL: Esse texto faz parte da contribuição de Dan Herman em prol do esclarecimento da Geração Muda Brasil. Aprovamos e publicamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões de modo construtivo. Se você gostou desse artigo indique-o para outros de sua estima. Cadastre-se no nosso site e receba informação privilegiada de grande valor. Encontre-me no Facebook: https:/www.facebook.com/danherman   


   Dan Herman, o inconfundível e autor do revolucionário Manual Salve-se Quem Souber (MSQS) é estudante e praticante da seguinte sabedoria ensinada por Edmund Burke, escritor e filósofo inglês: 

Tudo que é necessário para o triunfo do Mal, é que os cidadãos de bem nada façam!”.

    As lições do MSQS cobrem a área pessoal como profissional e são simples o suficiente para qualquer um de nós escolarizado compreendê-lo e ser capaz de enriquecer nossas vidas ao mesmo tempo. Para mais detalhes acesse agora  https://www.salvesequemsouber.com.br

 

Eu lhe pergunto, se existe tanta desaprovação contra o modelo político existente no país, como os cleptocratas no poder conseguem aprovação nas urnas? Será que o povo brasileiro é esquizofrênico? Ou tem o governo que merece?